Loading...

MT atinge mais de 99% dos animais vacinados contra febre aftosa

25/06/2020

A partir de agora, os técnicos do Indea-MT começam a fase de busca pelos estabelecimentos inadimplentes, que são 3,34% de um total de 107 mil propriedades rurais.

Mato Grosso encerrou a última etapa de vacinação contra a febre aftosa com 99,15% do rebanho de 30 milhões de cabeças imunizado, representando 96,7% dos estabelecimentos rurais do estado. Ao todo até o dia 23 de junho foram comunicadas as vacinações de 29.797.734 bovideos. Para a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), isso mostra o compromisso do pecuarista, que mesmo em meio a pandemia, não mediu esforços para cumprir com suas obrigações.

“Nossos pecuaristas cumpriram mais uma vez seu papel com excelência, mesmo em tempos de pandemia. O serviço oficial se adaptou as necessidades de mitigação de risco para realizar a fiscalização e para realizarmos a comunicação dentro do prazo previsto. Foi um perfeito exemplo de ação compartilhada, consolidada ao longo dos anos e capaz de superar desafios em prol da segurança sanitária, diz a médica veterinária Daniella Bueno, diretora executiva da Acrimat.

A Acrimat ressalta que estes são os dados parciais. “O resultado final oficial será divulgado após o dia 10 de julho”, informa Daniella Bueno.

O Instituto de Defesa Agropecuária do Estado (Indea-MT) considera o resultado da vacinação dos bovinos e bubalinos excelente, e destaca que o número atingido garante a sanidade do gado e a qualidade da carne produzida em Mato Grosso.

A partir de agora, os técnicos do Indea-MT começam a fase de busca pelos estabelecimentos inadimplentes, que são 3,34% de um total de 107 mil propriedades rurais.

A etapa de vacinação contra a febre aftosa foi estendida neste ano para 55 dias para que os pecuaristas se organizassem, para que não houvesse aglomeração na compra das vacinas e nem no momento da comunicação ao Indea-MT.

Todos os bovinos e bubalinos foram envolvidos nesta etapa da vacinação, exceto a microrregião do Baixo Pantanal Mato-grossense e zona do bloco I na região Oeste do Estado.

Fonte: Ascom/Acrimat