Loading...

Pecuária eleva PIB do agronegócio e contribui para fortalecimento da economia

21/11/2019

A elevação nos preços no ramo pecuário, por sua vez, tem sido motivada principalmente pela demanda aquecida por proteína animal no mercado externo, com destaque para o efeito da Peste Suína Africana (PSA).

Dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Esalq/USP, em parceria com a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) e com a Fealq (Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz) mostram que a pecuária foi o principal setor a contribuir para a alta do PIB do agronegócio.

Como verificado nos meses anteriores, o desempenho positivo no acumulado de 2019 (de janeiro a agosto) está atrelada ao forte crescimento observado para o setor pecuário, de quase 10%, tendo em vista o resultado negativo, em 1,82%, para o agrícola.

A alta no setor pecuário se deve aos crescimentos registrados para todos os segmentos. Pesquisadores ressaltam, contudo, que o elevado custo de produção também tem marcado a pecuária. Contudo, as cadeias do ramo têm se beneficiado da combinação de aumento na quantidade produzida com alta significativa dos preços.

A elevação nos preços no ramo pecuário, por sua vez, tem sido motivada principalmente pela demanda aquecida por proteína animal no mercado externo, com destaque para o efeito da Peste Suína Africana (PSA).

Já o recuo verificado no ramo agrícola esteve atrelado sobretudo à queda observada dentro da porteira, que, por sua vez, tem tido a renda pressionada por maiores custos de produção e menores preços de importantes culturas, como algodão, café, mandioca, milho e soja.

O atual diretor financeiro e futuro presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Oswaldo Ribeiro, analisa o panorama. “A elevação do PIB, como mostra os estudos, se deu às custas da pecuária, tendo em vista que o setor agrícola experimentou queda de 1,38% nos oito primeiros meses, enquanto que a pecuária passa por um novo ciclo nesse ano, devido à uma conjunção forte de fatores que contribuíram para isso”.

O pecuarista destaca, principalmente, a escassez do produto. “Determinado pelo grande abate de fêmeas e estiagem prolongada, aumento da demanda interna pela melhoria das condições econômicas do país e a crescente demanda externa”.

PIB

Os cálculos realizados pelas instituições apontam crescimento de 0,73% do PIB em agosto, com aumento no acumulado do ano (de janeiro a agosto) de 1,38%.

Fonte: Ascom/Acrimat