Loading...

Segunda etapa da vacinação contra aftosa termina no dia 30

19/11/2019

A vacina contra a febre aftosa teve dose reduzida de 5 ml para 2 ml na vacinação de bovinos e bubalinos. Ocorreram alterações na composição e volume de dose de imunização da vacina.

A segunda etapa de vacinação contra a febre aftosa termina no próximo dia 30, em quase todo o estado de Mato Grosso. Dados do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea/MT) indicam que aproximadamente 14 milhões de bovinos e bubalinos de até 24 meses de idade devem ser vacinados durante esta etapa.

O órgão do governo chama atenção do produtor para os prazos a serem cumpridos. Após a imunização do rebanho, o produtor deve fazer a declaração da vacinação com a contagem dos animais por idade e sexo, juntamente da Nota Fiscal da compra das vacinas e apresentar no Indea do seu município, até o dia 10 de dezembro.

“O pecuarista mato-grossense já está acostumado com o calendário de vacinação, no entanto, deve-se atentar também aos prazos para comunicar. Além disso, a Acrimat sempre orienta os nossos associados para que não deixem para os últimos dias, para evitar as filas nos escritórios do Indea”, informa a diretora executiva da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Daniella Bueno.

A exceção fica para as propriedades localizadas no baixo pantanal mato-grossense, que nesta etapa é obrigatória a imunização de todos os bovinos e bubalinos, de mamando a caducando. O prazo é de 1º de novembro a 15 de dezembro para vacinar e comunicar a vacinação junto ao Indea.

A multa para quem deixar de vacinar o rebanho dentro do período da campanha é de 1 UPF (Unidade Padrão de Fiscal) por cabeça de gado não vacinado. O produtor que atrasar a comunicação fica impossibilitado de emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA) por um período mínimo de 30 dias.

O Brasil é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), como país livre de febre aftosa com vacinação. E está em andamento o Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA), que prevê a implementação de ações para a retirada da vacinação até 2023. A última ocorrência de febre aftosa em Mato Grosso foi registrada em 1996.

O pecuarista e vice-presidente da Acrimat, Amarildo Merotti, diz que este é um momento importante para o setor. “A conquista de mercados para os nossos produtos se deu graças ao intenso trabalho realizado por diversos atores, como pecuaristas, o Indea, Fesa e a própria Acrimat”.

Vacina 2ML

A vacina contra a febre aftosa teve dose reduzida de 5 ml para 2 ml na vacinação de bovinos e bubalinos. Os fabricantes aceitaram fazer alterações na composição e volume de dose de imunização da vacina, atendendo demanda da cadeia produtiva.

“Seis entidades do agronegócio, entre elas a Acrimat, pediram mudança na composição da vacina contra febre aftosa aplicada em todo rebanho bovino do país, pois entendíamos que a alteração se fazia necessária para evitar que reações à vacina continuassem a trazer prejuízos ao produtor rural e às indústrias frigoríficas do setor”, explica o presidente da Acrimat, Marco Túlio Duarte Soares.

Precauções

É importante que o produtor fique atento aos cuidados ao realizar a vacinação do rebanho, como comprar vacinas somente de revendas registradas; manter as vacinas na temperatura correta entre 2°C e 8°C; manter a vacina no gelo até o momento da aplicação, respeitando a medida de 3 partes de gelo para uma de vacina; lembrar que a higiene e a limpeza são fundamentais; agitar o frasco antes de usar e aplicar a dosagem atualizada de 2 ml em cada animal; aplicar na tábua do pescoço, embaixo da pele.

Brucelose

O produtor pode aproveitar o manejo do rebanho para vacinar as fêmeas com idade de 03 a 08 meses contra brucelose. A segunda etapa da campanha teve início em 1º de julho e vai até 31 de dezembro. A vacinação precisa ser feita uma única vez. A comunicação deve ser feita até o dia 03 de janeiro de 2020, nos escritórios do Indea.

É proibida a vacinação em machos de qualquer idade e de fêmeas com idade superior a 08 meses. As bezerras vacinadas com RB51 deverão receber a marca com a letra “V”, no lado esquerdo da cara. Já as bezerras vacinadas com B19 deverão receber a marca do algarismo final do ano da vacinação, por exemplo: “9”, último dígito do ano 2019. A vacinação deve ser feita por médico veterinário ou vacinador sob sua supervisão.

Fonte: Ascom/Acrimat